Destaques

terça-feira, 5 de maio de 2015

ESTADO: Dois casos de dengue confirmados por hora

Postado por JUNIOR XIMENES, em 05 de maio de 2015

No ranking brasileiro, o Ceará ocupa a 7ª colocação entre os estados com maior número de notificações


A cada hora, dois casos de dengue são confirmados no Ceará. Diariamente, são mais de 57 novas ocorrências. É o que aponta o boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), de 30 de abril. No ranking brasileiro, o Ceará ocupa a 7ª colocação entre os estados com maior número de notificações da doença - 20.913, o que representa aumento de 280,7% em relação ao igual período do ano passado (5.493).
Em primeiro lugar, está São Paulo (401.564), seguido de Goiás (63.203), Minas Gerais (60.838), Paraná (40.203), Pernambuco (24.340) e Rio de Janeiro (22.484), informa o boletim epidemiológico divulgado ontem pelo Ministério da Saúde. O levantamento, que traz dados até 18 de abril, revela que o País vive uma epidemia de dengue, com 745,9 mil casos notificados - quase cinco por minuto.
Neste ano, foram confirmados 229 óbitos nas primeiras 15 semanas do ano, um aumento de 44,9% em relação ao igual período do ano passado, quando foram registradas 158 mortes. No Ceará, cinco mortes foram confirmadas, sendo duas em Maracanaú, uma em Aquiraz, uma em Barbalha e uma em Varjota.
Em 2015, até 18 de abril, foram 404 casos graves, o que representa aumento de 49,6% em relação ao igual período de 2014, quando ocorreram 270. No Ceará, foram notificados 208 tipos graves da doença, dos quais 165 se confirmaram. Destes, 146 (88,4%) por dengue com sinais de alarme e 19 (11,5%) por dengue grave. Março obteve o maior número de casos graves e óbitos. Foram 66 confirmações (40%) dos 165 registros e quatro mortes (80%) das cinco investigadas.
Já a Capital foi responsável por 53,4% dos casos de dengue com sinais de alarme do Estado, enquanto o Interior obteve 63%. A doença está presente em 113 dos 184 municípios cearenses.
Monitoramento
Márcio Garcia, coordenador de Promoção e Proteção à Saúde da Sesa, destaca que o órgão vem em um constante trabalho de vigilância e monitoramento dos casos e que os meses de março a maio são, tradicionalmente, os com maior número de confirmação da doença. "É um momento de atenção tanto para a população, que deve eliminar os focos em seus domicílios, quanto para os profissionais de saúde". Ele acrescenta que o Ceará tem mais casos do que 2014. Porém, menos do que os anos epidêmicos.
Luana Lima
Repórter
Fonte: Diário do Nordeste

MARANGUAPE: Suspeitos de matar três homens são capturados

Postado por JUNIOR XIMENES, em 05 de maio de 2015
Image-0-Artigo-1846792-1
Raimundo Natanael Lopes da Silva, 21, o 'Nael', estava na casa de um parente quando foi localizado e preso
Image-1-Artigo-1846792-1
Rodrigo Lopes Pinto, 20, o 'Marujinho', foi encontrado junto com 'Nael', na Rua Natal, em Maranguape
Image-2-Artigo-1846792-1
Iramar Moraes Queiroz, o 'Neguinho da Cross' também é apontado pela Polícia como autor das três mortes
Três suspeitos de serem os autores de um crime que deixou três mortos e dois feridos, ocorrido em um açude de Maranguape, foram presos, na manhã de ontem, no bairro Novo Maranguape. De acordo com a Polícia, Raimundo Natanael Lopes da Silva, 21, 'Nael'; Rodrigo Lopes Pinto, 20, o 'Marujinho'; e Iramar Moraes Queiroz, o 'Neguinho da Cross' negam participação no caso, mas já foram reconhecidos por um dos sobreviventes.
O soldado Gledston, da 2ªCia do 14ºBPM (Maranguape), que participou da prisão, disse que 'Nael' e 'Marujinho' estavam na residência de um familiar de um deles, na Rua Natal. 'Neguinho da Cross' foi encontrado na Rua Porto Alegre, na casa de um parente. Todos eles já têm passagens pela Polícia por tráfico de drogas e roubo qualificado, conforme o militar.
"As diligências à procura deles foram ininterruptas, desde que o crime aconteceu. Recebemos informações de que estariam neste bairro e fomos aos lugares onde poderiam estar, até que conseguimos encontrá-los", disse Gledston.
O militar afirmou que a versão mais provável dos fatos é que tanto as vítimas quanto os suspeitos fossem integrantes de gangues rivais e isto já tivesse gerado desavenças anteriores, mas no momento do tiroteio o trio preso teria roubado os pertences de Valdeci Moreno Costa, Antônio David Lima da Silva, Stanley Mateus Fialho da Silva e de outros dos baleados.
Um dos mortos estaria tentando pegar o aparelho celular no bolso, quando isto foi entendido como uma tentativa de reação por parte dos executores e o tiroteio teve início.
Os supostos atiradores seriam do bairro Área Verde, em Maranguape; e os mortos moravam no bairro Luzardo Viana, em Maracanaú. A Polícia diz que os bairros ficam no limite entre os municípios e existe uma briga entre gangues pelo domínio do tráfico de drogas local. As vítimas não tinham antecedentes criminais. Conforme informações da PM, outros dois homens que teriam participado do tiroteio estão sendo procurados. Os dois rapazes baleados estão no Instituto Doutor José Frota (IJF) se recuperando das lesões, mas não correm risco de morte, segundo a Polícia. Os suspeitos foram encaminhados à Delegacia Metropolitana de Maracanaú (DMM). As armas usadas no crime não foram encontradas.
Fonte: Diário do Nordeste

SITUAÇÃO IRREGULAR: 68 mil eleitores no CE têm títulos cancelados

Postado por JUNIOR XIMENES, em 05 de maio de 2015

O prazo para fazer a regularização terminou ontem, mas apenas 2,35% normalizaram o cadastro no TRE

Image-0-Artigo-1846856-1
Na manhã de ontem, havia quem aguardasse até duas horas na fila à espera do atendimento por falta de um agendamento
FOTO: FABIANE DE PAULA
Pelo menos 68 mil eleitores tiveram seus títulos cancelados por terem deixado de votar nas últimas três eleições e não justificado a falta, nem quitado as multas até ontem, quando se encerrou o prazo para a regularização. O balanço final será informado somente hoje. A partir de agora, quem teve o título cancelado deve procurar a Central de Atendimento ao Eleitor para pagar as multas e revisar o cadastro.
De acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral, até a manhã de ontem, apenas 1.663 eleitores enquadrados na situação regularizaram seus títulos desde o início da divulgação do prazo, em 20 de fevereiro. O número representa apenas 2,35% do total de eleitores que poderiam ter seus títulos cancelados, proporção semelhante ao que acontece em todo o País. No Brasil, apenas 2,7% dos eleitores se regularizaram a tempo de evitar o cancelamento do título.
O TRE informou ainda que, desde a implantação do Sistema Integrado de Atualização da Situação do Eleitor (Pólis), em 2013, o número de eleitores divulgados não inclui, na maioria das vezes, eleitores que morreram. O programa depende que os cartórios civis informem dados acerca de óbitos de eleitores, que são excluídos automaticamente do sistema. O órgão não soube informar quantos títulos foram cancelados por conta de mortes no período.
Para reabilitar o título, o eleitor deve agendar seu atendimento por meio do 148 ou do site do TRE e comparecer à Central de Atendimento ao Eleitor, na Praia de Iracema, munido de documento de identidade com foto e comprovante de residência recente. Uma guia de pagamento será emitida para que o eleitor quite sua dívida eleitoral e seja recadastrado no sistema. A multa é de R$ 3,51 por turno.
De acordo com Afrânio Aguiar, chefe da Central de Atendimento ao Eleitor do TRE, os eleitores que tiveram seus títulos cancelados podem enfrentar diversos problemas, como o impedimento de tirar passaporte ou carteira de identidade, de participar de concursos ou de tomar posse em cargos públicos. Além disso, os cidadãos também poderão ser impossibilitados de obter certos tipos de empréstimos.
Agendamento
Aguiar também lamentou que apenas em torno de 25% dos eleitores que procuram o órgão façam o agendamento. Na manhã de ontem, havia quem aguardasse até duas horas na fila à espera de atendimento.
Foi o caso do pedreiro João Batista. Ele afirmou ter ido à Central evitar que seu título fosse cancelado e pedir uma segunda via do documento, motivo pelo qual afirmou ter ficado sem votar nas últimas três eleições.
O cabeleireiro Josaphat Neto, por sua vez, em 30 minutos já estava com o título novo nas mãos. "Não peguei fila porque já tinha agendado antes. Aproveitei que não trabalho na segunda-feira e vim alterar alguns dados que estavam errados", explicou.
Após seis meses do início do processo de recadastramento biométrico em Fortaleza, apenas 2,57% dos eleitores compareceram à Central de Atendimento ao Eleitor do Tribunal Regional do Ceará (TRE), na Praia de Iracema, para atualizar os registros. A meta é que pelo menos 20% dos eleitores da Capital sejam recadastrados até maio do próximo ano.
Para alcançar a meta a tempo, na avaliação do chefe da Central de Atendimento ao Eleitor, Afrânio Aguiar, seria necessário que pelo menos mil pessoas fossem atendidas todos os dias em Fortaleza. No entanto, a média de atendimento é em torno de 500 a 600 eleitores por dia na Praia de Iracema, o que ainda não é suficiente para cumprir o prazo.
O técnico judiciário Tiago Sobreira ponderou que, até maio do próximo ano, a capacidade de atendimento do TRE será ampliada para cadastrar maior número de pessoas e recuperar o atraso. "Acreditamos que ainda vamos atingir a meta porque, perto do final do prazo, a tendência é que as pessoas se mobilizem mais", alertou.
Até ontem, apenas 8,35% da população cearense já havia realizado o recadastramento biométrico, que deve alcançar 50% até maio de 2016. Até lá, os eleitores de mais 77 municípios devem ser recadastrados. Em Caucaia e Fortaleza, por conta da densidade populacional, somente parte do eleitorado será cadastrado a tempo para a realização das eleições municipais de outubro do próximo ano.
No ano passado, oito municípios já haviam concluído a revisão biométrica: Crateús, Ipaporanga, Alcântaras, Eusébio, Aquiraz, Forquilha, Sobral e Juazeiro do Norte. Desde novembro, 11 já estão em processo de recadastramento: Fortaleza, Iguatu, Quixelô, Milagres, Abaiara, Crato, Limoeiro do Norte, Camocim, Ubajara, Ibiapina e Maracanaú. Com exceção da Capital, os municípios devem concluir o processo até maio de 2016.
Segundo o TRE, mais 32 municípios têm previsão de iniciar o processo de recadastramento até junho, com mesmo prazo para conclusão: Maranguape, Palmácia, Cascavel, Pindoretama, Aracati, Fortim, Icapuí, Russas, Palhano, Quixeré, Missão Velha, Uruburetama, Tururu, Barbalha, Viçosa do Ceará, Itapagé, Irauçuba, Tejuçuoca, Jardim, Morada Nova, Ibicuitinga, Nova Olinda, Altaneira, Santana do Cariri, Santa Quitéria, Catunda, Hidrolândia, Caririaçu, Pacoti, Guaramiranga, Jati e Penaforte. Outros 45 também iniciarão o processo até agosto deste ano.
Fonte: Diário do Nordeste

CASO RARO: A mulher que não sente dor - e que pegou no sono quando dava à luz

Postado por JUNIOR XIMENES, em 04 de maio de 2015

O maior desejo de Marisa de Toledo, que sofre de analgesia congênita, rara condição que afeta menos de 50 pessoas no mundo, é poder sentir dor; conheça sua história.

Gibby Zobelpara a BBC
Marisa passou parte da infância sem saber que sofria de analgesia congênita (Foto: BBC)Marisa passou parte da infância sem saber que sofria de analgesia congênita (Foto: BBC)
Marisa de Toledo, de 27 anos, tem as mãos cobertas de cicatrizes e bolhas. No primeiro parto, uma cesariana, ela não precisou de anestesia e, durante o nascimento do segundo de seus três filhos, ela pegou no sono.
A paulista de Angatuba também já teve que amputar um dedo do pé e até já perdeu o sentido do paladar pois queimou a língua várias vezes. Marisa sofre de um problema raro: a insensibilidade congênita à dor, ou analgesia congênita.
Acredita-se que o problema afete menos de 50 pessoas no mundo todo. À primeira vista, não sentir dor pode parecer um benefício, mas a doença pode colocar a vida da pessoa em risco.
Marisa contou à BBC que a mãe dela foi a primeira a notar que havia algo de diferente com a filha. "Eu caí, bati minha cabeça... Uma vez cortei minhas costas, mas nem chorei. Mas minha mãe nunca me levou no médico. Só depois que ela morreu que fui ao médico."
"Quebrei meu tornozelo quando tinha sete anos e foi aí que o médico me falou que eu não sentia dor. Eu estava andando normal. Meu tornozelo estava inchado, mas eu andei o dia inteiro", afirmou.
Exames
Marisa vive com a família em uma área rural e precisa viajar para ter o cuidado médico que precisa  (Foto: BBC)Marisa vive com a família em uma área rural e precisa viajar para ter o cuidado médico que precisa (Foto: BBC)
A doença de Marisa ainda não é totalmente compreendida e ela teve que sair da pequena cidade de Angatuba para fazer uma série de exames no Hospital das Clínicas, em São Paulo, conduzidos por pesquisadores.
Marisa ainda tem o sentido do tato, mas o cérebro não consegue transmitir os sinais de perigo. "Ainda não entendo nada disso. Eu não sinto dor, e isto não é normal, não é? Se você sai por aí se machucando, quebrando ossos e não sente dor..."
"Meu cérebro não manda os sinais, é o que o médico falou. Uma vez eles até fizeram um exame tirando um nervo da perna para ver o que era", disse. "Sinto quando está quente lá fora. Mas não sinto o fogo e água quente no chuveiro, essas coisas", acrescentou.
Marisa afirmou que consegue sentir coisas frias, mas não sente o que é quente. "Uma vez, quando eu tinha uns dez anos, eu estava no sítio e sentei em frente ao fogão à lenha porque estava frio. Sentei de costas para o fogão e minhas costas ficaram cheias de bolhas, queimou."
Família
O irmão de Marisa, Reinaldo, de 33 anos, também sofre da mesma doença, mas os outros dois irmãos são normais. Reinaldo lembra o quanto se divertia quando era criança, subindo em árvores e caindo em seguida sem sentir dor. Outra "proeza" era batucar em uma chapa quente, de brincadeira. Ele é conhecido pelo apelido "carne morta".

Mas, nem tudo se resume a brincadeiras de infância. Reinaldo teve uma perna amputada devido a uma infecção que só foi diagnosticada quando era tarde demais.
Ele hoje vive com a irmã, Marisa, o marido dela, Givanildo Aparecido de Toledo, 38 anos, e os três filhos dela, Raiane, nove anos, Noemi, sete e Matheus, de três anos.
O problema de Marisa e Reinaldo é genético, mas os três filhos dela não foram afetados.
Preconceito
O marido de Marisa, Givanildo, afirmou que, quando se casou, não sabia da doença da esposa. "No começo, até no primeiro dia do casamento... tivemos a cerimônia e voltamos para casa. Marisa estava cozinhando assim, na panela. Ela não achou o pano de prato e pegou a frigideira com a mão (sem proteção)."

"Eu corri e coloquei a mão dela na pia, debaixo da água fria... A marca do cabo da panela tinha queimado fundo na pele da mão e eu falei 'Nossa, nunca vi uma coisa destas!'... A pele estava grudada na panela", contou.
Passado o primeiro susto, Givanildo notou que a mulher ainda tinha que enfrentar mais um obstáculo: o preconceito.
"Tem muito preconceito, um desprezo por causa do problema dela. Mas eu falei: 'Não, vamos ficar ficar juntos, isto é o que Deus preparou para nós'... Uma ajuda o outro e tocamos nossas vidas. Somos pobres e humildes, mas somos felizes, alegres, vivemos contentes do jeito que nascemos", afirmou.
Ouvi a enfermeira gritando 'acorda! acorda!'. Pensei 'o que está acontecendo?' e o médico falou 'sua filha está nascendo'. Eu nem senti ela saindo, nada. Eu fiz um esforço, mas quem fez a força foi ela"
Marisa de Toledo, paciente que não sente dor
Um ano depois do casamento, Marisa ficou grávida de Raiane apesar dos médicos terem alertado que ela não poderia ter filhos por causa da analgesia congênita.
Ela teve que ir até São Paulo para o nascimento, pois os médicos de Angatuba não queriam fazer o parto. "Foi uma cesariana, mas eu nem tomei anestesia", disse Marisa.
"O médico falou 'vou tentar cortar assim mesmo'. Então minha primeira filha nasceu assim, sem anestesia. O médico disse que foi como cortar um porco, eu não sentia nenhuma dor."
No nascimento da segunda filha, Marisa não teve tempo de ir até São Paulo. "(Para) Minha segunda filha... minha bolsa estourou e fui ao hospital daqui, mas o médico não quis fazer o parto. Eles me mandaram para Sorocaba (a duas horas de viagem). Quando cheguei, estava cansada e dormi", disse.
Uma enfermeira teve que gritar para acordar Marisa durante o parto. "Quando eu dormi, acho que esqueci que tinha minha filha na barriga. E a enfermeira gritou 'sua filha está nascendo, olha aqui!'. Metade dela já estava para fora, a cabeça e os ombros. Eu só fiz uma força para o resto dela sair."
"Ouvi a enfermeira gritando 'acorda! acorda!'. Pensei 'o que está acontecendo?' e o médico falou 'sua filha está nascendo'. Eu nem senti ela saindo, nada. Eu fiz um esforço, mas quem fez a força foi ela", acrescentou.
  •  
Marisa sofre de um problema raro: a insensibilidade congênita à dor, ou analgesia congênita. Acredita-se que menos de 50 pessoas no mundo todo sofra disso. À primeira vista, não sentir dor pode parecer um benefício, mas a doença pode colocar a vida da pessoa em risco
Raridade
Marisa diz que não consegue entender ideias como agonia e sofrimento, comuns para quem sente dores. Mesmo assim, o maior desejo dela é sentir dor. "Eu falo para as pessoas 'como pode doer tanto', como em um parto. Para mim, eu fico imaginando como é a dor. Um dia queria ter dor, mas acho que nunca vou ter porque desde criança eu não tenho."

"Quero sentir dor. Quando você sente dor, você corre para o médico. Quando você se corta, ou outra coisa, mas eu não sinto isso. Então (o corte) fica inflamado. Minha perna está fora do lugar, se eu tivesse dor, eu nem estaria andando", afirmou.
Steven Pete, que também sofre com a doença e criou o website "The Facts of Painless People" ('Os Fatos sobre as Pessoas sem Dor', em tradução livre), mora no Estado americano de Washington. Ele afirma que a analgesia congênita é uma das doenças mais raras do mundo. "Existem apenas cerca de 40 ou 50 pessoas que têm insensibilidade congênita à dor."
Pete acha que Marisa precisa de mais cuidados médicos. "Marisa está em uma região onde é difícil para ela ter o cuidado médico que precisa e merece. Ela precisa ir ao médico com a maior frequência possível, mesmo se eles (os médicos) não entenderem (a doença). É importante para ela saber o que está acontecendo dentro de seu corpo o tempo todo", disse.
"O aspecto da saúde mental também é importante. Você precisa tentar ser positivo na vida o máximo que puder, mesmo se tiver que fingir", acrescentou.
Marisa tenta fazer exatamente isto: levantando cedo para ir pescar no rio Paranapanema, que passa nos fundos de sua casa.
"Adoro pescar. Mesmo sem pegar nada, é gostoso. Passa a hora, passa o tempo, nem noto. Fico até tarde. A gente esquece os problemas."
Fonte: G1

NACIONAL: Jovem morre após ser atacado por jumento na Bahia

Postado por JUNIOR XIMENES, em 05 de maio de 2015

Jumenta ainda estava próxima ao corpo quando os agentes chegaram
Jumenta ainda estava próxima ao corpo quando os agentes chegaram Foto: Reprodução / Facebook



Um homem morreu após ser atacado por um jumento, na cidade de Amargosa, na região Centro-Sul da Bahia. De acordo com a Polícia Civil, Alírio Juvêncio da Silva Filho, de 24 anos, foi encontrado morto em uma fazenda, na região rural conhecida como Água Sumida, a cerca de 10 Km do centro da cidade.

O caso, segundo a polícia, aconteceu na última sexta-feira. Alírio trabalhava em um descarregamento de carga de cacau e usava o jumento para fazer o transporte. O animal, por algum motivo, avançou contra ele e o feriu com mordidas na cabeça e no pescoço. O rapaz também foi pisoteado pelo animal e foi achado com marcas espalhadas pelo corpo. Moradores que encontraram o corpo de Alírio chamaram a polícia e, quando os agentes chegaram, o jumento ainda estava próximo ao local onde o corpo da vítima foi achado.

Uma ambulância do Samu chegou a ser chamada ao local, mas Alírio já estava morto. O corpo dele foi levado ao Instituto Médico Legal de Amargosa e sepultado, no sábado, no cemitério da cidade.


Fonte: http://extra.globo.com

SECA: Terceiro maior açude do Estado do Ceará está com 1,29% de sua capacidade

Postado por POSTADO POR JUNIOR XIMENES, em 05 de maio de 2015

No trimestre de fevereiro a abril, as chuvas ficaram 23,1% abaixo do esperado para o período

Açude Arrojado Lisboa
O Açude Arrojado Lisboa (Banabuiú) atingiu o seu limite
FOTO: ALEX PIMENTEL
Banabuiú/Iguatu. As águas do Açude Arrojado Lisboa (Banabuiú) deixaram de correr pelo Rio Banabuiú. A válvula de dispersão da represa administrada pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) foi praticamente fechada. A redução foi de 7,5m³/s para 107 l/s, deixando o afluente totalmente seco logo abaixo da jusante. Segundo o administrador do Arrojado Lisboa, Ariston Queiroz, a última vez que essa situação ocorreu foi há 15 anos.
Conforme o funcionário do órgão Federal, a decisão foi tomada, na última semana, pelo Comitê de Gestão das Sub-bacias do Vale do Jaguaribe, incluindo a do Banabuiú. Para ele, o terceiro maior açude do Ceará chegou ao seu limite. Está apenas com 1,29% da capacidade. Atualmente a carga hídrica disponível será suficiente apenas para abastecer a cidade de Banabuiú, explicou.
A última vez em que o Arrojado Lisboa atingiu uma situação tão crítica foi no período de 1997 a 2001. Três anos depois, o reservatório voltou a acumular água, e, em 2004, sangrou. Todavia, a situação atual é bem diferente.
O Fogareiro, em Quixeramobim está com apenas 0,76% do volume, o equivalente a 900 mil/m³; o Serafim Dias, em Mombaça, tem praticamente a mesma quantidade, representando 2,5% do seu volume e o Patu, em Senador Pompeu, com situação um pouco melhor, cerca de 13% do seu volume, 9,2 milhões de metros cúbicos. Somente quando sangrarem, a represa federal, inaugurada em 1966, voltará a receber novamente considerável volume de água.
Na avaliação do servidor do Dnocs, que monitora o açude desde 1998, a decisão do Comitê foi tardia, consequência de uma decisão errada tomada pelo colegiado representado por cinco comitês do Vale do Jaguaribe, incluindo o da Sub-bacia do Banabuiú. Em 2014, resolveu deixar a válvula aberta por um período de 90 dias, o suficiente para soltar rio abaixo 28 milhões de m³ de água. Naquela época, a situação era menos crítica em relação à atual, mesmo assim a água correu com abundância. Se não ocorresse o desperdício, hoje estaria com 48 milhões de m³, ressaltou o servidor do Dnocs.
No início de fevereiro o prefeito de Banabuiú, Veridiano Sales, havia ingressado com ação na Justiça para interromper a vazão de 7,8 m/s. Até a última decisão do Comitê do Vale do Jaguaribe, o pedido ainda não tinha sido atendido. Ele alertava para o problema e, principalmente, para os prejuízos às comunidades de pescadores e ribeirinhos do açude, mais afetadas com a redução do volume no Açude. Agora, os barraqueiros estabelecidos na jusante, onde funciona o balneário da cidade, também estão sendo prejudicados. Somente três meses depois, os membros do Comitê reconheceram definitivamente a gravidade do problema.
Além de Banabuiú, os municípios de Morada Nova e Ibicuitinga estão sendo afetados. Conforme o gerente da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) na Bacia do Banabuiú, Luís Pimentel, com a redução do volume de água na válvula do Arrojado Lisboa, Morada Nova passará a receber água por meio de uma adutora de montagem rápida interligada ao Eixão das Águas. A adutora já está funcionado. A população de Ibicuitinga, passa a contar com poços profundos. Quatro deles já foram perfurados.
Caso a vazão dos poços não seja suficiente para abastecer a área urbana, onde estão concentrados cerca de 5.000 habitantes, mais quatro poços serão perfurados. Outro plano de emergência também já foi traçado. Em último caso, o Município poderá contar com uma adutora de montagem rápida, também interligada ao Eixão das Águas. Além da sede, o distrito de Juazeiro de Baixo passará a contar com abastecimento da adutora. As demais comunidades serão abastecidas por carros-pipa. Mas uma nova deliberação será tomada na reunião programada para esta terça-feira.
Situação preocupante
Este é o último mês da quadra chuvosa no Ceará e o volume dos reservatórios permanece preocupante. No Estado, a média é de apenas 20,3%, a menor dos últimos dez anos. E as chuvas permanecem abaixo da média. Em abril passado, choveu menos 34,7% da média do período. Dos 151 açudes monitorados pela Cogerh, dois estão sagrando. Três reservatórios permanecem com volume acima de 90%; e 113 abaixo de 30%.
Das 12 bacias hidrográficas, quatro estão em situação muito crítica; outras quatro, crítica; e, no restante, a posição é de alerta. "O volume dos açudes é preocupante, não houve recarga significativa nos médios e grandes reservatórios", observou o meteorologista da Funceme, Raul Fritz. "Para este mês de maio, a média de chuva é menos de 50% em relação a abril e não há mais o que se esperar, a não ser que ocorra um evento excepcional", completou.
De acordo com a Funceme, no trimestre de fevereiro a abril, as chuvas ficaram 23,1% abaixo do esperado para o período, que é de 516,6 mm. Foram registrados, em média, no Estado, apenas 398,2 mm. No ano passado, no período, foi observado um déficit um pouco mais elevado, 27,5%, e em 2013, o quadro foi mais grave: as precipitações ficaram 47,4% abaixo da média.
O Ceará vivencia, portanto, o quarto ano de estiagem, com chuvas abaixo da média, irregulares no tempo e na distribuição geográfica. A previsão da Funceme para os meses de maio, junho e julho é que as chuvas permaneçam dentro da normalidade. Mas, nesse período, o esperado são reduzidas precipitações. "O atual mês é o último da quadra chuvosa e, em junho e julho, as precipitações são reduzidas", observa Fritz. Dessa forma, o cenário atual, que é muito crítico, tende a permanecer.
Os dados da Cogerh mostram que apenas a barragem dos Caldeirões, em Saboeiro, e o açude Gavião, em Pacatuba, estão sangrando. Outros três permanecem com volume acima de 90%: Tijuquinha, em Baturité; Gameleira, em Itapipoca; e a Barragem do Batalhão, em Crateús.
Os técnicos do governo acompanham diariamente a evolução no nível dos reservatórios. Em março passado, o volume médio acumulado, nas 12 bacias hidrográficas, era de 19,2%. Atualmente é de 20,3%. No início deste ano, os açudes acumulavam em média 20,95% e, em abril de 2014, era de 27,5%.
No início de abril passado, a bacia hidrográfica em situação mais crítica era a dos Sertões de Crateús que acumulava 4,51%. Agora está com 5,13%. No início deste ano, acumulava 0,6%. A bacia do Baixo Jaguaribe está com 1,68%. Perdeu 0,2% em relação ao mês anterior. A do Curu passou de 3,0% para 4,98%.
O quadro também permanece grave na Bacia do Banabuiú que apresentava há um mês um volume médio de 5,68% e caiu para 5,30%. O quadro mais confortável permanece na Bacia do Alto Jaguaribe que tem volume médio de 37,78%, mas, em abril passado, era de 38,20%. Apresentou perda de volume.
A Bacia do Salgado acumula 23,26% e a do Médio Jaguaribe, 20,33%. Ambas perderam volume em abril. A Bacia do Coreaú que estava com 24,81% saltou para 36,55%. A do Litoral também deu um salto importante de 15,17% para 41,67%. As Bacias Metropolitanas passaram de 27,29% para 31,51% e a da Ibiapaba passou de 23,22% para 24,60%. A do Acaraú aumentou de 13,86% para 14,45%.
Restrição
A Cogerh promove, nas cidades do Interior, reuniões de monitoramento e alocação de água. Ao fim da quadra chuvosa, será feita uma avaliação final e adotadas medidas de restrição do uso da água para irrigação. A prioridade será o consumo humano. O assistente técnico da Cogerh, Gianni Lima, reafirmou que a maioria dos reservatórios dispõe de água até o fim de 2016.
Os técnicos do governo ainda aguardam o desfecho da quadra chuvosa, que ocorre neste mês de maio, para anunciar decisões sobre a redução de liberação de água para áreas de produção agrícola irrigada. Na prática, já se sabe que a tendência é de perda de volume dos açudes a partir do período atual.
A situação é preocupante. No fim da quadra chuvosa passada, o volume acumulado nos açudes monitorados pela Cogerh era de 32,21%. Agora é de apenas 20,3%. A julgar pelo índice histórico para maio, certamente, não haverá recarga significativa nos próximos dias. A crise no abastecimento de água já afeta várias cidades com medidas de rodízio e o governo do Estado ampliou o programa de perfuração de poços profundos nos centros urbanos e vilas rurais.
Atualmente, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Ceará atende a 22 municípios com a Operação Carro-Pipa, ainda utilizando o restante dos R$ 17 milhões aplicados em ações emergenciais. A distribuição de água por carros-pipa é feita em sua maioria pelo Exército.
Mais informações:
Funceme - Fone: (85) 3101-1117
Cogerh - Fone: (85) 3218-7024
Coordenadoria de Defesa Civil
Fone: (85) 3101-4619
Alex Pimentel/Honório Barbosa
Colaboradores
Fonte: Diário do Nordeste

Estátua de São João Batista desaba na praça central de Horizonte

     POSTADO POR JUNIOR XIMENES 05/05/2015                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                           O monumento tinha aproximadamente 15 metros e foi construído em julho de 2009                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                

Estátua
O monumento símbolo da cidade ficou totalmente destruído
FOTO: VC REPÓRTER
A estátua de São João Batista, construída na praça da Igreja Matriz de Horizonte, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), desabou na noite desta segunda-feira (4). Devido o incidente, o monumento símbolo da cidade ficou totalmente destruído.
Segundo moradores, que enviaram as imagens à redação pela ferramenta VC Repórter, a estátua já apresentava diversasrachaduras, devido a intensa exposição ao sol e chuva. 
A praça da Igreja Matriz é o principal ponto de encontro dos moradores do município. No momento do incidente diversas pessoas estavam próximas, mas ninguém ficou ferido. 
São João Batista é o santo padroeiro da Paróquia de Horizonte. A estátua, que tinha aproximadamente 15 metros, foi construída em julho de 2009 pelo artista plástico Franciné Mararo Diniz. 
Veja mais imagens da estátua após o desabamento:

PT irá expulsar os filiados que forem condenados em processo judicial

 Postado por JUNIOR XIMENES 08h19 | 05.05.2015

A decisão deve ser anunciada durante o programa do partido no rádio e na TV, que irá ao ar na noite desta terça-feira (5/05/2015

Lula
O ex-presidente Lula deve aparecer em depoimento durante o programa, onde criticará o projeto de lei que regulamenta a terceirização
REUTERS
PT deve anunciar na noite desta terça-feira (5) que irá excluir do partido os filiados que forem determinados como culpados em um processo judicial. A promessa deve ir ao ar durante programa em cadeia nacional no rádio e na TV, segundo o jornal 'Folha de S. Paulo'.
As informações são de que o próprio presidente nacional do PT, Rui Falcão, irá afirmar durante o programa que o filiado que cometer ilegalidades não continuará no partido. "Por isso também, o PT não aceita que alguns setores da mídia queiram criminalizar todo partido por causa de erros graves de alguns filiados", diz Falcão.
Apesar dessa promessa, o ex-presidente da sigla José Genoino e o ex-ministro José Dirceu, envolvidos no esquema do mensalão, continuam a fazer parte dos filiados. O ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, também envolvido escândalo, foi expulso da legenda ainda em 2205, mas foi refiliado em 2011.
Sem Dilma
O programa, que deve ir ao ar por volta das 20h30, terá dez minutos de duração. Segundo a Folha, a peça não deve citar a Operação Lava Jato, que apura o esquema de corrupção na Petrobras. 
Já Dilma Rousseff não estará presente no programa. A presidente não deve dar nenhum depoimento, o que seria recomendação de alguns dos aliados, que pensam que ela precisa reconstruir sua imagem perante o povo brasileiro.
Apenas Falcão e o ex-presidente Lula irão aparecer em discuso no programa. Inclusive, Lula também chega a criticar o projeto da terceirização, que foi aprovado na Câmara no mês passado e já seguiu para análise no Senado. Entre os pontos polêmicos da proposta está a liberação para a terceirização das atividades-fim de uma empresa.
Entre as defesas do partido está o fim do financiamento privado, com uma promessa do próprio PT, afirmando que não receberá mais esse tipo de doação. A decisão foi tomada ainda no dia 17 de abril, entre os membros da cúpula.
O ajuste econômico, proposto pelo governo, também é defendido, fazendo a ressalva de que os cortes não devem atingir os mais pobres ou os trabalhadores. FONTE DIÁRIO DO NORDESTE